sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Sangue.


As vezes quem você ama é quem te trai, te decepciona e te humilha...
O que é ser sangue do mesmo sangue? Ser parte do mesmo DNA??? Apenas isso?


Durante a vida conhecemos milhares de pessoas que aprendemos a admirar, a respeitar, a conviver... Mas e aquelas que já nascemos fadados a conviver porque são “sangue do mesmo sangue?"

A clausura vermelha machuca, corrói, mas ninguém é obrigado a se manchar por isso...

Os laços são eternos, mas nem sempre verdadeiros, são forjados como uma espada, lapidados como uma jóia, mas nunca nascem da simples amplitude do viver e sim do glóbulo sanguíneo do conviver.

A natureza da convivência é difícil, às vezes torna-se insustentável, e quando chega a esse ponto, o melhor é sair... Limpar o sangue que te manchou durante toda uma vida e prosseguir.

Deixe o sangue circular, mas nunca te sufocar...

E no final verás que o vermelho não será assim tão escuro.

4 comentários:

Anônimo disse...

È BEM ASSIM MESMO.BJS
GILCÉLIA BARBOSA

Carlos Rodrigo disse...

Pois é...

Thays Mendonça Silveira disse...

Familia e muito mais doq corrente sanguinia , familia e quem vc escolhe pra sua vida, mas forte q a obrigação de amar é a escolha de quem vc quer amar e levar por toda uma vida.

Carlos Rodrigo disse...

Showww