quinta-feira, 15 de julho de 2010

Cultura de Cu é Rola!


Cultura é um conceito desenvolvido inicialmente pelo antropólogo Edward Burnett Tylor para designar o todo complexo metabiológico criado pelo homem.[1] São práticas e ações sociais que seguem um padrão determinado no espaço. Refere-se a crenças, comportamentos, valores, instituições, regras morais que permeiam e identificam uma sociedade. Explica e dá sentido à cosmologia social; É a identidade própria de um grupo humano em um território e num determinado período.

Pois bem... Após toda explicação acadêmica sobre o que é cultura, venho por meio deste expressar toda insatisfação e incômodo ao ver que nos tempos de hoje as pessoas simplesmente não sabem o que é cultura. Não estou me referindo a pessoas que não estudaram ou coisas do tipo; refiro-me a antropólogos, sociólogos e muitos outros “ólogos” que adoram bostear por aí, mas que já começam seus discursos erradamente por denotar cultura, rotular cultua, elencar e hierarquizar uma cultura sobre a outra.

Quando estava no colégio, lá no início mesmo, lembro-me que um dos primeiros conceitos que aprendi era exatamente o de cultura, e apesar de bem simples e superficial, dava pra entender muito bem o conceito, e apenas com isso, não bostear como fazem 90% das pessoas hoje em dia. >>> Cultura são todos os costumes e folclores de um povo. Foi exatamente isso que aprendi na época.

Parece que hoje em dia resolveram frear o que realmente é e tem que ser entendido como cultura, e criaram bizarrices como subculturas que de fato existem, mas são usadas erradamente para exemplificar culturas existentes de modo pejorativo, debochando de outros gostos ou crenças.
Vou citar aqui alguns exemplos: A música clássica é o nome dado a principal variedade de música produzida ou enraizada nas tradições da música secular e litúrgica ocidental, abrange aproximadamente do século IX até hoje. Tudo bem, ninguém nega a importância que a música clássica tem para toda história da humanidade, mas se tratando de cultura ela é TOTALMENTE passível de aproximação com o Funk carioca por exemplo (lembrando novamente em termos de cultura). O ponto que eu quero realmente chegar é esse: não se pode dizer que uma apresentação da Orquestra Filarmônica Brasileira no Teatro Municipal do Rio de Janeiro seja mais cultural que uma apresentação da equipe de som da furacão 2000 no Olimpo. Temos que entender que TUDO, absolutamente TUDO que nos rodeia é cultura, e tem que ser visto e respeitado por isso. Se você gosta de Bossa Nova, gosta das letras bem escritas e formuladas de Tom Jobim, e odeia os Mc’s do Funk, acha aquelas letras totalmente ridículas e apelativas, de certa forma você tem todo direito de ter o seu gosto musical, porém você não pode falar que a Bossa nova é cultura e os Mc’s de Funk não são. Você pode gostar dos roqueiros do Rolling Stones e dizer que quem gosta de Genival Lacerda não tem cultura, ou tem menos cultura que você, mas ambos são culturas, independente de suas raízes.
Uma vez vi na TV um sociólogo falando tanta besteira que eu não consegui continuar assistindo. Dizia ele: “o que fazem hoje em dia com a nossa música não é cultura... Essas letras que só falam de sexo, que só tem batida, onde não há melodias, não podem ser consideradas cultura. A música clássica sim, a sertaneja, o samba etc etc... esses são exemplos de cultura.”
Outra vez um professor da UFRJ falando ao programa “SEM CENSURA” da TVE dizia que as pessoas que estudam tem mais cultura que as pessoas que moram no campo. Que as pessoas do campo pode-se dizer que nem cultura tem... #Nossa, isso foi o cúmulo!!! Se você for ao campo conversar com essas pessoas, verá que eles possuem experiências e conhecimentos que você não tem. Verá o quão rica e profunda é a cultura deles, e chegará a conclusão mais uma vez que estavam bosteando novamente o conceito de cultura para milhares e milhares de pessoas.

Chego a conclusão de que a hipocrisia impera novamente em nossa sociedade e o conceito de cultura passa a ser rotulado por “berço.”
Que o verdadeiro conceito de cultura fora deixado no passado, e que hoje em dia não é raro ouvirmos o termo: Evento cultural para uma peça de Teatro, exibição de filmes etc... e a anulação desses termos para jogos de futebol, shows de pagode, bailes de forró entre outros.
Não estou aqui defendendo estilos musicais, até porque eu gosto de muitas coisas e tenho minhas preferências como todo mundo e que NÃO são Funk e forró por exemplo, mas sei que são cultura, e que na verdade TUDO é cultura.
Espero que com esse pequeno e singelo texto, eu tenha contribuído de alguma forma para curar a sociedade desse câncer que se instalou em grande parte da população que simplesmente não sabe mais o que é cultura. Aproveito também para me desculpar a quem leu o texto pelo título, que escrito de forma esdrúxula expressa muito bem minha insatisfação e incômodo ao tratar desse tema!

Então é isso gente... Por favor, ao falarem de cultura lembrem... Tudo é cultura, até ser Vascaíno é cultura! rsrs

5 comentários:

Claudinha disse...

Camacho adorei o texto aprendi bastante. A conclusão que cheguei é que a cultura modifica ao longo do tempo e da convivência ressaltando também que nunca são esquecidas apenas são utilizadas ao que convém aos olhos da sociedade.
Obs: Vasco não é cultura rsrs.

Bjs sucesso menino...

Carlos Rodrigo disse...

KKKKKKKKKKKKK É É, Um amigo meu que leu o texto falou a mesma coisa sobre as mudanças que a cultura sofre com o passar do tempo.
E referente ao Vasco... Realmente... Axo que o Vasco NÃO é nada! KKKKKKKKKKKKKK

Renan disse...

como falei pra você, cultura é um conceito bem complexo. Como te falei, por exemplo, o samba de raiz que era visto como algo popular e hoje é bem elitista...

Carlos Rodrigo disse...

Verdade! A Cultura se transforma através do tempo.... Ou não! rsrs

MARCIA disse...

KKKKKKKKKKKK VCS NAO TEM O Q FAZER.......MESMO....RRSSSSSSSSSSSSSSSSS