sexta-feira, 9 de julho de 2010

Mulheres irresistíveis, poderosas e fascinantes!

Um dos primeiros efeitos da beleza feminina sobre um homem é tirar-lhe a avareza. Não é o mal que é o mais interessante, mas a espiral do pior. Dentre muitas necessidades, uma mulher fascinante tem uma latente; notar que está sendo notada.



Hoje descreverei minha visão e opinião sobre as mulheres fascinantes, poderosas, as mulheres que em síntese: “Valem a pena.”

As mulheres mostram seu poderio de forma sutil, ao passo que são agressivas e perturbadoras, com simples olhares e poucas insinuações conseguem o que querem, e as vezes vão além, muito além...

As garotas boazinhas precisam aprender algo que as mulheres poderosas já sabem. As concessões excessivas e a ânsia de agradar diminuem o respeito que o homem tem pela mulher e acabam com a atração que inicialmente os aproximou. Os homens, em geral, não se sentem desafiados quando se vêem diante de uma mulher que não mede sacrifícios para conquistá-los. Elas não oferecem o desafio mental que os homens procuram.
Por outro lado, as mulheres erram ao imaginar que, se tiverem doutorado, se souberem defender suas idéias em uma discussão sobre política internacional ou se entenderem de investimentos, serão naturalmente capazes de oferecer um estímulo mental ao homem.
O desafio mental tem muito mais a ver com a atitude do que com a conversa. Geralmente, a mulher que se faz respeitar e que demonstra não ter medo de viver sozinha constitui um desafio mental muito mais instigante, e de fato hoje em dia estamos rodeados por elas.
Mulheres fascinantes não precisam de muitos requisitos, e não requisitam muitas coisas ao contrário do que pode se pensar, pois sabem do seu poder, e conseguem o que querem dos homens, e o que mais as aflige são outras mulheres, o que denota sua pseudo superioridade ao sexo masculino, a facilidade de encantamento e persuasão que conquistam, e toda sua insegurança e despreparo referente a outra mulher fascinante.
As mulheres que encantam não se preocupam em serem mulheres frutas, mas se preocupam em serem independentes, não se preocupam em serem putas, mas se preocupam em não depender de ninguém, não se preocupam com a fama que levam, mas se preocupam com o que elas levam de si, e essas mulheres guerreiras encantam, fascinam e despertam a libido masculina, mais do que a menina boazinha que sonha em se casar, que corre atrás de um marido, que tem em sua fidelidade seu maior alicerce. Óbvio que ninguém gosta ou quer ser traído, mas quando encontram uma mulher realmente fabulosa os homens já sabem o quanto terão de ser fortes, como terão que ter sorte, e assim lidar com adversidades providas de sua conquista.
Não vim aqui escrever sobre vantagens superficiais que mulheres encantadoras possuem, mas como nós homens nos sentimos estarrecidos. Como já dizia a música de Leoni: “Garotos como eu sempre tão espertos, perto de uma mulher... São só garotos”.
Exemplifico meu texto com uma alusão às “Mulheres do Calendário”. As mulheres expostas nos calendários presentes quase sempre em redutos totalmente masculino-masculinizados, como borracharias, celas de prisões para homens etc... Não estão expostas à toa. Em nosso cotidiano, nós homens precisamos estar ligados às mulheres, a sua beleza, como nos calendários onde utilizamos para ver em qual dia da semana, mês, ano estamos, as mulheres nos surgem como uma bússola temporal, nos guiam e nos confortam. As “Mulheres do Calendário” são a própria manifestação da mulher fascinante e irresistível.
Uma mulher que “vale a pena” impressiona sem impressionismos artificiais: somente é e está. O deslumbramento nela não vem do batom, nem da roupa nem de apetrechos pendurados no corpo, mas da suavidade sutil com que nos queima, somente estando ali, naquela hora e naquele lugar em que nos encontramos. Daí seu ser admirável, pois sabendo o que é e quer, sabe o que tem e pode dar, deixando isso claro ao homem para quem é mais, muito mais do que mera justaposição.
Uma mulher fascinante tem o poder naturalíssimo de somar quando tudo conspira por dividir. Ela entende olhares de dois em simbiose consciente mirando direções opostas: conta mesmo é o que junta, enriquece, amplia.
Uma mulher fascinante nos quer amplos, não uns achatados na desqualificação eventualmente produzida pelo nosso ser. Ela alcança a estrela e nos estende a mão, no lado-a-lado, e no alto, confortável onde ambos podemos nos realizar.
A segurança dela vem não de se ver conquistada, mas por ver-se como alguém que se conquistou no homem que escolheu para ter ao lado, junto, parceiro, quando e da maneira que lhe convier. Em reciprocidade!
Uma mulher fascinante faz-se no enlevo do encontro. Não está nem aí para regrinhas exteriores, muito menos para coisas tipo RG. Ela tem a tranqüilidade dos simples mortais, a serenidade dos verdes e dos maduros, simultaneamente. Ela pode ter 15 anos para certas coisas; 40 para outras; 30 para um tanto delas; 25 para as demais; cem anos para um monte dentre as conhecidas e zero para as que ela mesmo cria.
Eu poderia ficar aqui escrevendo e descrevendo as mulheres que me encantam, mas em uma vida apenas não daria nem pro início.
Mulheres encantadoras não decidem ser encantadoras, não escolhem ser irresistíveis, não buscam serem poderosas, apenas vivem, convivem e são!

23 comentários:

Rayssa disse...

caaaaaara , vc eh um gênio! Mt interessante o texto =) AMEI

Carlos Rodrigo disse...

Ahhh Obrigado Rayssinha! ^^

Camila Cruz disse...

Adorei!rs

Carlos Rodrigo disse...

\o/

Igor Abreu disse...

"Eu poderia ficar aqui escrevendo e descrevendo as mulheres que me encantam, mas em uma vida apenas não daria nem pro início." Tá danado hein rs, muito bom garoto, concordo com o teu texto.

Anônimo disse...

Referente as boazinhas e poderosas acho que é por aí mesmo tem que rolar o meio termo.
Muito bom o texto.
Leonardo Costa.

Carlos Rodrigo disse...

Vlw gente! ^ ^

Renan disse...

Falou tudo Carlos...show de bola

Patricia disse...

Muito bom, eu adorei o seu ponto de vista.

E concordei com tudo que vc disse.

Parabens

Carlos Rodrigo disse...

Brigadão Patrícia!!!
Bjxxxxxxxxx

Anônimo disse...

Concordo com vc Carlos, mas tem muitas que confundem fascinio e poder com arrogancia e se sentem boas demais pra qualquer mortal, acabam ficando sozinhas.Conheci algumas assim!
Equilibrio é tudo.

Carlos Rodrigo disse...

ÉÉÉ Pods crer!
Obrigado Cintia! Bjão!

Déo Gadelha disse...

A-D-O-R-E-I, ME VI EM CADA PARAGRÁFO RSRSRS CONVENCIIIIIIIIIDA KKKKKKK. BJOKS

Carlos Rodrigo disse...

KKKKKKKKKKKKK Déo SUPER Modesta! rs

Claudinha disse...

Carlos Rodrigo o seu texto está excelente, meus parabéns vc tem futuro consegue entender as realizações e desejos do universo feminino.
Continue assim que o limite será pouco perto das suas palavras.
Bjs quero ler mais.

Carlos Rodrigo disse...

Ahhhh Brigado Claudinha!

Bruno aqui =) disse...

Não concordo totalmente, mas entendo sua visão, eu gosto de mulheres inteligentes, mulheres que pela conversa mesmo demonstrem um conhecimento, eu acho isso interessante, acho que é pela raridade, uma coisa muito dificil de se encontrar é uma mulher que saiba falar de política,filosofia, entre outros assuntos menos populares, então pela raridade dessas mulheres, elas me encantam mais do que parecer uma puta, claro que eu sou estranho e não fico nem com 1/3 de mulher que esses malucos que panham geral ficam, mas qualidade não é quantidade.

Gislaine disse...

Mandou super bem... ta show!!!! bju

Carlos Rodrigo disse...

Vlw Bruno! E não eskeça q o conceito do q é qualidade é um conceito customizado, relativo de cada um. E o q vc axa qualidade, pode não ser para outra pessoa! Obrigado pelo comentário!!!

Anônimo disse...

O que dizer de novo? Sei que escreveu pra mim, não precisava...
AIJAUHAUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUAHA... (Alok, pode falar..auhauhauhaa...)
Não, zoa, mas AMEI CADA LINHA *-*
Parabénsssss, de coração!^^ T.

Anônimo disse...

Filosofou!!! Preciso repetir: VOCÊ EAH FODA! bjs

MissLilithDJ disse...

Adorei!!!! Beijos enormes pra ti.

Anônimo disse...

concerteza adoreiiiiiiiii